Marcador: Eventos contrabaixísticos


Coleguitos e coleguitas dos graves fofosos e da mão esquerda fofilda,

Aqui vai o link da minha palestra “Noções de Postura e Etiqueta para Mão Esquerda Mal-Educada”, feita no I Congresso Nacional de Contrabaixo Online, evento que contou com mais de 3.000 contrabaixistas inscritos, em 2014.

Agradecimentos: Manassés Moreira, contrabaixista e idealizador do ConaBass;
Daniel Salgado e Cláudio Cuoco, do Ship Room Estúdio (tel: 21-99677-8621 https://shiproomestudio.wordpress.com)

https://youtu.be/kWSgh5q9VOU



Muito sucesso contrabaixístico para o nosso grande colega e contrabaixista Alexandre Rosa, que autografará seu livro “Técnicas Estendidas do Contrabaixo no Brasil”, editado pela Unesp, nesse sábado, dia 26/09/2015, na Loja Clássicos!

Este trabalho complementa o CD BASS XXI lançado em 2014 e traz ainda uma revisão de literatura e a aplicação pedagógica das técnicas estendidas.
Horário: de 15h às 19h
Local: Sala São Paulo – São Paulo/ SP

“Sabe-se que o contrabaixo acústico é um instrumento de grande expressão no meio artístico brasileiro tanto na música popular como na música de concerto. Apesar disto, as publicações brasileiras sobre o instrumento não conseguem suprir a crescente busca por informações mais aprofundadas por parte de estudantes e profissionais, o que por si só seria justificativa para a publicação deste livro. Contudo, Alexandre Rosa foi mais além. Ele desenvolveu um trabalho que não apenas traz informações sobre as questões idiomáticas do contrabaixo, mas também apresenta uma visão pedagógica das técnicas estendidas (ou não convencionais) e as discute e aplica em obras de cinco compositores (quatro brasileiros e um português radicado no Brasil). O trabalho fica ainda mais completo quando o autor disponibiliza as gravações das obras em CD (2013) fechando um ciclo completo na pesquisa em performance musical onde se tem processo e produto registrados com efetividade. A experiência de ler o trajeto percorrido pelo autor no livro, complementada pelo registro sonoro. Acredito que o leitor vá se encantar com a qualidade da pesquisa, com a paixão do autor pelo contrabaixo e pela música, explícitos em cada linha deste livro. Boa leitura!”
(Sonia Ray, 2014)

O grande contrabaixista Marcos Machado estará fazendo uma série de recitais pelo Brasil com o pianista Ney Fialkow. No flyer acima, estão todas as datas e cidades. Grátis!

Apareçam, convidem os amigos e inimigos e, por favor, ajudem na divulgação do evento contrabaixístico, infelizmente, cada vez mais raro aqui no Rio, a ainda raro em todo o Brasil!…

No Rio de Janeiro:
Data: 15/06/2015, segunda-feira
Palestra: 10h
Recital: 20h
Local: UniRio (Instituto Villa- Lobos, Sala Villa-Lobos)
Endereço; Av. Pasteur, 436 (fundos) – Urca
Entrada franca

Palestra “Tao of Bass”, com Marcos Machado
Lançamento do livro “Tao of Bass” de Marcos Machado.
“Este livro é o resultado de cerca de 15 anos de estudos e análises de técnicas avançadas do contrabaixo.
Serão abordados temas como articulação/coordenação/resistência; pivots; técnica avançadas de capotasto, e a aplicação destas em repertório solo e orquestral.”
Entrada franca
________________________________________________________
Recital de Lançamento do CD de Marcos Machado e Ney Fialkow
No programa, obras de L. Boccherini, Henrique Oswald, L.V. Beethoven e Frank Proto.
Entrada franca

Marcos Machado – contrabaixo

Marcos Machado desenvolve carreira internacional atuando como solista, professor e músico de câmara. Reside nos Estados Unidos há 19 anos onde é professor de contrabaixo erudito e jazz na University of Southern Mississippi desde 2005. É primeiro contrabaixo da Meridian Symphony e Gulf Coast Symphony e membro do USM Jazz Quartet. Fundador do Southern Miss Bass Symposium, em sua 6a edição nos Estados Unidos. Marcos aperfeiçoou-se em Paris com François Rabbath, considerado o mais importante contrabaixista da atualidade. Marcos é o único sulamericano que recebeu os diplomas de Performance e Professor pelo Rabbath International Institute. Sua formação em contrabaixo teve início com Milton R. Masciadri (1931-2009) na Escola da OSPA, continuando os estudos nos Estados Unidos na UGA com o Dr. Masciadri. Marcos é doutor em música (DMA) pela University of Illinois em Urbana-Champaign com o prof. Michael Cameron. O virtuosismo de Marcos tem atraído a atenção de muitos músicos, em especial do compositor americano Frank Proto que o descreveu como “brilhante”. Performances recentes incluem a estréia mundial da “Sonata para contrabaixo” de Frank Proto na Convenção Bienal da International Society of Bassists (ISB). Frente à Orquestra Eleazar de Carvalho, fez a estréia mundial do Concerto para contrabaixo do compositor Arthur Barbosa. Em 2014, Marcos Machado foi artista em residência do Conservatório Nacional de Música em Lima, Peru. Machado já realizou diversas turnês pela Itália, França, Suíça, Alemanha, Inglaterra, Brasil, Uruguai, Argentina e Peru. Já se apresentou no Montreux Jazz Festival (Suíça), Vienne Jazz Festival (França), Victoria Bach Festival-Texas, Bonneville Chamber Music Festival-Utah, Premier Music Festival-Mississippi, FestivalSouth, Northern Lights Music Festival-Minessota, Spoleto Festival-South Carolina, Oficina de Música de Curitiba, FEMUSA-MG, FIMMA-CE, Festival Internacional de Música Unisinos, Encontro de Cordas da Amazônia-PA, Festival SESC Pelotas, South Carolina Chamber Music Festival, Raymi Bass – Festival de Contrabajo (Lima, Peru), MUNASP, Festival Internacional Música na Serra-SC, Festival Música nas Montanhas-MG, etc. Marcos é um músico versátil e confortável em vários idiomas. Tem trabalhado com respeitados compositores, entre eles Frank Proto, Lewis Nielson, Tarik O’Regan, Rudolf Haken, Craig Hella Johnson, George Crumb, Charles Wuorinen e Tristan Murail. Contrabaixista convidado do grupo de Câmara Conspirare sob a regência de Craig Hella Johnson, nomeado cinco vezes ao Grammy. Com esse grupo gravou obras do compositor inglês Tarik O’Regan no famoso Music Hall do Troy Savings Bank, em Nova Iorque, com o prestigioso selo Harmonia Mundi. O CD—Threshold of Night, foi lançado em 2008 e indicado a dois prêmios Grammy. O CD “Conspirare in Concert”, gravado ao vivo no Long Center for Performing Arts em Austin, Texas, foi nomeado ao Grammy Best Classical Crossover Album. Em 2014, Marcos recebeu aprovação do sabático da University of Southern Mississippi, e dedicou seu tempo para finalizar o livro de técnica de contrabaixo e gravar um CD com o pianista Ney Fialkow. Ambos projetos serão lançados em 2015.

Ney Fialkow – piano

Premiado em diversos concursos, destacando-se o cobiçado título de melhor pianista do VII Prêmio Eldorado de Música, em São Paulo, os primeiros prêmios em diversos concursos nacionais e no exterior, o pianista Ney Fialkow é hoje um dos destacados músicos do cenário nacional. Tem conciliado movimentada carreira de solista e camerista com a atividade de professor do Instituto de Artes UFRGS, em Porto Alegre. Suas aparições como solista e camerista tem cativado plateias de diversas salas de concerto no Brasil e no exterior e suas masterclasses tem sido apreciadas por jovens pianistas de diversos países. Sob os auspícios do governo brasileiro, realizou formação em pós-graduação nos EUA, obtendo o título de Doutor em Música no Peabody Conservatory da Johns Hopkins University, Baltimore, onde foi assistente da célebre pianista Ann Schein, obtendo o prêmio Francis Turner por destaque em performance. Realizou também com distinção o Mestrado em Música no New England Conservatory, Boston, com Patrícia Zander. Em parceria com o aclamado violinista Carmelo de los Santos, lançou o CD “Sonatas Brasileiras” gravado ao vivo, tendo sido acolhido pelo público e crítica especializada como “um dos melhores registros que o Brasil produziu de sua música de câmera”, recebendo o prêmio de Melhor CD erudito do Prêmio Açorianos 2009. Em 2006 realizou concerto com o Trio Porto Alegre (Cármelo de los Santos e Hugo Pilger) no projeto “Copa da Cultura”, promovido pelo Ministério da Cultura do Brasil em Berlim, na Alemanha, com repertório dedicado à música de câmera brasileira. Em 2008, ao lado de Maria Alice Brandão, executou a obra integral de Beethoven para violoncelo e piano na Capela Santa Maria em Curitiba. Em 2010 participou como solista da estréia da obra “Mahavidyas” de Vagner Cunha e do CD da versão integral da obra lançado em 2010, obtendo o Prêmio Açorianos junto com a pianista Cristina Capparelli como melhores intérpretes. Neste mesmo ano a agenda incluiu apresentações no Festival de Musica de Ushuaia, concertos com a contralto Kismara Pessatti, um recital solo em Buenos Aires, e concertos na temporada oficial do Teatro Paulinia de SP e concerto de abertura do festival Villa-Lobos no Rio de Janeiro. Em 2011 sua agenda incluiu entre diversos compromissos a realização de concerto na Sala São Paulo com o violinista Moisés Bonella Em 2014 foi pianista convidado da III Semana Internacional de Música de Câmera do Rio de Janeiro, tendo também realizado turnê e gravação de CD com o aclamado contrabaixista Marcos Machado por diversas cidades norte-americanas. Ney Fialkow tem colaborado com importantes musicistas brasileiros e do exterior e atuado como solista de orquestras do Brasil, sob a batuta de Camargo Guarnieri, Isaac Karabichevsky, Roberto Tibiriçá, Roberto Duarte, e outros. Suas gravações incluem também o Diálogo para Piano e Orquestra de Bruno Kiefer com a Orquestra Sinfônica de Porto Alegre, além de obras de Armando Albuquerque, Edino Krieger, Camargo Guarnieri, Flávio Oliveira, Luciano Zanatta e Vagner Cunha., “…sonoridade perfeita, fraseado harmonioso, dedilhado preciso e suave, marca registrada dos grandes pianistas” – O Estado de São Paulo, SP”…fervilhando brasilidade nos Ponteios de Guarnieri” – L’Alsace, França.

Coleguitins,

Aqui vai o link da minha palestra gratuita no CONABASS (Congresso Nacional de Contrabaixo Online), hoje, 29/07/2014, às 18h:
http://www.onlinemeetingnow.com/seminar/?id=i768bzjayd

Para adquirir o acesso VIP e assistir as 29 palestras do evento com mais calma depois, e ainda ganhar + 12 palestras + material didático, acessem este link aqui:
http://hotmart.net.br/show.html?a=M2098233V

OBS: As palestras do CONABASS têm tido a lotação máxima da sala: 3000 baixistas online.
Cheguem mais cedo, para não perder a minha palestra!

Abraços contrabaixísticos,
Voila

 

 
Posso assistir as palestras depois que o I CONABASS terminar?

Caso você ainda queira assistir as palestras do I CONABASS, é só adquirir o acesso VIP.
Com ele, você conseguirá ter todas as palestras em qualquer lugar e qualquer horário.
Veja um vídeo com detalhes clicando no link:
http://hotmart.net.br/show.html?a=M2098233V

O que ganho com acesso VIP?

São 29 palestras disponíveis – 28 palestras de contrabaixo elétrico, 01 de contrabaixo acústico e 01 de gestão cultural, com muitas dicas e conteúdo.
E, de  bônus, tem mais 12 vídeos + 2 arquivos em PDF com material didático + entrevista com o Adriano Giffoni.
Veja um vídeo com detalhes clicando no link:
http://hotmart.net.br/show.html?a=M2098233V

Voila, e a sua palestra?

Minha palestra será às 18h de terça-feira, dia 29/07/2014.
O tema será “Noções de postura e etiqueta para mão esquerda mal-educada”.
Nela, explico como colocar a mão esquerda no contrabaixo acústico – com o passo a passo detalhado – e o que evitar fazer, com os seus porquês principais.
O tema é útil tanto para quem nunca pegou no acústico, quanto para quem já pega pois, muitas das vezes – no calor das emoções de estudar ou tocar – não percebemos que os vícios chegaram e tomaram conta do pedaço.

Abraços contrabaixísticos,
Voila Marques

Programação completa do I CONABASS – 28/07 a 03/08/2014:




Repasso para vocês o convite do nosso talentosíssimo contrabaixista Alexandre Ritter para a palestra e o recital dele com o André Loss, no domingo agora.
Programa contrabaixístico imperdível pro domingão!
Boa sorte contrabaixística procês, Alexandre!

ALEXANDRE RITTER – CONTRABAIXO
ANDRÉ LOSS – PIANO

No programa, obras de Ravel, J.C. Bach, Vivaldi, J.S. Bach e Bloch. Antes do show, às 15h, Alexandre Ritter vai palestrar sobre a sua carreira e as dificuldades encontradas pelos músicos.

Data: 24/11/2011 – domingo
Horários:
15h – Palestra com Alexandre Ritter, sobre a sua carreira e as dificuldades encontradas pelos músicos.
20h – Recital
Local: Recreio da Juventude
Endereço: Pinheiro Machado, 1.762 – Caxias – RS
Ingressos: R$ 20 e R$ 10 (sócios do Recreio da Juventude)


Repasso para vocês o simpático convite da nossa talentosíssima contrabaixista Ana Valéria Poles, que dará um recital hoje, com a pianista Dana Radu e com seu filho Pedro Poles.
Programão imperdível para sábado! Boa sorte contrabaixística para vocês, Valéria!

294º Concerto do “Centro de Música Brasileira“, com:

ANA VALÉRIA POLES (contrabaixo)
DANA RADU (piano)
PEDRO POLES (baixo elétrico)

Programa:
Pedro Cameron – Três Peças para contrabaixo solo (dedicadas à Ana Valéria Poles):
- Reinvenção
- Solilóquio
- Conciliação

Ernest Mahle – As Melodias da Cecília:
- Passeio do Urso
- Hipopótamo aplicado
- Valsa do Pierrô
- Gigantes e gnomos
- Valsa do Arlequim
- O cavalo divertido
- Tristezas do elefante
- Girafa no balanço
- Estripulias do macaco
- Valsa da preguiça

Osvaldo Lacerda – Choro Seresteiro para contrabaixo e baixo elétrico

Osvaldo Lacerda – Sonatina nº 2 para piano:
- Allegro ma non tropo
- Lento
- Vivace

Henrique Oswald – Elegia (transcrição para contrabaixo e piano, de Ana Valéria Poles)

Henrique Oswald – Sonata op. 21 (transcrição para contrabaixo e piano, de Danilo Zangheri):
- Allegro agitado
- Romanza
- Molto Allegro

Data: hoje, dia 23/11/2013, sábado
Horário: às 19h30
Local: Sala Cultura Inglesa do “Centro Brasileiro Britânico“
Endereço: Rua Ferreira de Araújo, 741 – Pinheiros
São Paulo – SP
Tel: (11) 3039-0508
Entrada Franca
Duração: 1h15min, aproximadamente.

Como chegar: ir pela Av. Pedroso de Moraes, sentido cidade-bairro. Após passar a Rua Ferreira de Araújo, seguir em frente, porque é contra-mão para conversão à esquerda. No retorno, passar para o lado de lá, e voltar um pouco – sentido cidade-, até o Habib’s. Entrar à direita, mas muito cuidado porque é uma confluência praticamente de três ruas. Pegar a rua do meio, que se chama Rua Padre Carvalho, e ir quase até o fim (até onde der contra-mão), isto é, até a Rua Tucambira e entrar à esquerda nessa rua. Depois, entrar na primeira rua à direita, Rua Fernão Dias, virar novamente à direita , que é a Rua Sumidouro. Andar dois quarteirões, e entrar à direita na Rua Ferreira de Araújo.
Há estacionamento no próprio local.

Caros colegas,
Recebi o simpático convite do nosso talentosíssimo contrabaixista Alexandre Ritter, que repasso para vocês.
Obrigada pelo convite e boa sorte contrabaixística para o Duo, Alexandre!
Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Instituto de Artes
Departamento de Música
Programa de Extensão do DEMUS

convidam para

“REFLEXÃO”

Recital de Contrabaixo e Piano/Cravo
com
Alexandre Ritter e André Loss

04 de Outubro de 2013, sexta-feira, às 20h
Auditorium Tasso Corrêa
Instituto de Artes da UFRGS
(Rua Senhor dos Passos, 248 – Centro – Porto Alegre/ RS)

O recital será público e gratuito

Foto de Isaías Mattos 2012

No programa obras de Ravel, J. C. Bach, Vivaldi, J. S. Bach e Bloch.

Breve Notas sobre o Programa

Por Alexandre Ritter – Agosto de 2013.

Este programa busca acima de tudo, levar o ouvinte a um estado de “Reflexão”. Por isso, decidi buscar um repertório intimista, sóbrio, profundo e talvez para alguns, triste.
Em 1914 Maurice Ravel recebeu de Alvina Alvi, soprano da Opera Imperial de St. Petersburg, uma comissão para compor duas pequenas peças, intituladas “Duas Melodias Hebraicas”, para voz e piano. A primeira peça “Kaddisch”, e a segunda, “L’Énigme éternelle”. No programa de hoje será executado a primeira delas, “Kaddisch”. O professor de contrabaixo acústico da University of British Columbia (Vancouver – Canadá), Kenneth Friedmann, fez a transcrição para contrabaixo e piano em 2002, e me passou a peça em 2006/7 durante meu mestrado na mesma universidade. O texto que Ravel utilizou na versão original em “Kaddish” é em Aramaico, e é parte importante da liturgia Judaica. Importante representante análogo ao movimento impressionista nas artes plásticas do fim do século IX e início do século XX, Ravel nos envolve com suas harmonias hipnotizantes, sempre nos tonteando ao redor da tônica, embora, em alguns momentos, nos instigando com notas dissonantes marginais ao esperado. Enquanto isso, a melodia nos transporta com elementos arraigados nas fortes personalidades do canto que vem da terra, da fé, da reflexão, da oração.

A segunda peça do programa é um segundo movimento de concerto para viola. Os créditos deste concerto são dados aqui ao filho mais novo do famoso J. S. Bach, Johan Christian Bach. Entretanto, é comumente discutido que na verdade quem escreveu este concerto foi o violinista e compositor parisiense Henri Casadesus (1879 – 1947). Ignorando quem tenha sido o compositor, fica claro o “Estilo Galante” trazido do início do classicismo/fim do barroco, onde uma linha melódica com um simples acompanhamento predomina, contrastando à complexidade contrapontística tão proeminente do período precedente. Buscando assim, a simplicidade da narrativa musical e prezando um contexto mais emotivo e introspectivo.

No programa de hoje, duas sonatas de Antonio Vivaldi originalmente escritas para violoncelo e baixo continuo. Vivaldi não chegou a publicar essas sonatas em vida, entretanto, elas datam depois de 1730. Na minha opinião, as duas mais obscuras e entorpecentes do compositor; das seis que ele escreveu, que se tem notícia. Não só pela seu modo, menor, mas também, especialmente nos movimentos lentos, por suas melodias simples, econômicas e que tem o poder de nos prender profundamente. Se tratam das sonatas 3 e 5. A sonata 5 será a primeira a ser executada, e para encerrar o programa, a sonata 3. Estarei lendo a partir da primeira edição da partitura de Paris: Le Clerc le Cadet, 1740. Em minha carreira, esta é a primeira vez que usarei uma partitura “lisa” em concerto, ou seja, sem nenhuma marcação de arco ou digitação, ou sequer dinâmica. De acordo com alguns tratados deste época (Corrette: 1741, Geminiani: 1751, Leopoldo Mozart: 1756, e Tartini: 1771), essa era a forma de “prática de performance”, ao improviso. Não só no que diz respeito as questões acima citadas, como também em relação a articulações e realização do baixo contínuo, dando ao interprete grande espaço para liberdades artísticas; o que eu adoro! Sintam-se sendo minhas cobaias! Entretanto, devo informar ao leitor de que o músico profissional do período barroco era treinado e com certeza sabia utilizar do bom gosto e da competência para lidar de forma apropriada com as “liberdades artísticas” em questão; uma prática que foi, infelizmente, perdida através dos séculos. Lerei na oitava original escrita para o violoncelo, mas estarei usando encordoamento solo (F#, Si, Mi, Lá), ficando uma sétima maior abaixo do que o violoncelo soaria. A realização do baixo contínuo é de André Loss.

A música de Johan Sebastian Bach tem um absoluto poder sobre as reações químicas que meu organismo sofre, e tenho certeza, divido esta qualidade com muitos indivíduos. Da gama de informações que poderia ser discutida aqui sobre a Sarabande da quinta suite para violoncelo solo a ser executada, mas em especial sobre Bach, prefiro deixar que a intrínseca genialidade do compositor fale por si só…de qualquer forma, notem a força nesta “simples” peça monódica onde se pode ouvir de duas a três “personagens” ao mesmo tempo. Um desafio ao refletir! Estarei tocando a partir da Edição Crítica, Alemanha: Bärenreiter-Verlag, 2000. A escolha do arco utilizado em minha interpretação é o resultado de minhas próprias conclusões, baseado em meus estudos dos quatro manuscritos do século XVIII (em especial, de Anna Magdalena Bach, segunda esposa de Bach) e uma edição publicada do século XX, todas inclusas nesta Edição Crítica, bem como de minhas observações de grandes interpretes (Casals, Fournier, Rostropovich, Isserlis, Maisky, entre outros), em especial do famoso violoncelista, musicólogo, e especialista em performance histórica da música de Bach, e em especial das Suites para violoncelo solo, o Holandês Anner Bylsma. Estarei lendo uma oitava acima do grafado, em afinação solo. Sobre as reações químicas, cada um saberá da sua!

Ernest Bloch escreveu em 1924, em Cleveland, a peça intitulada “From Jewish Life” (‘Da Vida Judaica’) em três pequenos movimentos, “Prayer,” “Supplication,” e “Jewish Song” para violoncelo e piano. Será executada a primeira delas, “Prayer” (‘Oração’). O uso de melismas e de segundas “bemolizadas” (meio tom abaixo), traz características da música vocal Judaica. O título expressa tudo, uma “reflexão”, usando simples melodia e acompanhamento o compositor nos isca, nos seduz para o “orar”. Será usada a transcrição de Frank Proto com algumas “liberdades artísticas” de Alexandre Ritter (mudei algumas oitavas).

Para encerrar o programa, a Sonata 3 de Vilvaldi, aqui já discutida.

CURRÍCULOS

ALEXANDRE RITTER
Contrabaixo

O contrabaixista Brasileiro Alexandre Ritter é professor de contrabaixo da Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS (Porto Alegre/RS) desde 2000. Alexandre recebeu ambos os títulos de Doutor (DMA) e Bacharel (BMA) em Performance pela The University of Georgia – UGA (EUA), sob a orientação do Prof. Milton Walter Masciadri. Sua formação musical e acadêmica também inclui um ano de mestrado em Performance de Contrabaixo na University of British Columbia (Canadá), sob a orientação do Prof. Kenneth Friedman. No Brasil, Alexandre teve sua primeira orientação no contrabaixo com o Prof. Antônio Guaracy Guimarães na Fundação Municipal de Artes de Montenegro, e logo após estudou com o Prof. Milton Romay Masciadri na Escola de Música da OSPA. Grande influência em sua carreira tem sido o famoso contrabaixista e virtuoso Franco Petracchi, com quem teve a oportunidade de estudar na Itália, na renomada Academia Musicale Chiggiana (com Diploma di Mérito), em Siena, e no Campus Internazionale di Musica, em Sermoneta. Em Maio de 2010, sob orientação do Prof. David Haas (UGA), Alexandre completou extensiva pesquisa e dissertação de doutorado sobre o Divertimento Concertante de Nino Rota em colaboração direta com o Maestro Petracchi, em homenagem ao qual a peça foi escrita em 1973. Alexandre já participou de vários festivais de música, tendo a oportunidade de realizar masterclasses com grandes contrabaixistas, como Franco Petracchi, Joel Quarrington, Edwin Barker, Gary Karr e François Rabbath. Sua extensa experiência como músico de orquestra inclui a participação em orquestras na América do Norte e na América do Sul, incluindo as Sinfônicas de Savannah, Charleston, Greenville e Augusta, nos EUA, bem como as Sinfônicas de Porto Alegre e Paraná, no Brasil. Seu trabalho como músico sinfônico, camerista e solista o tem levado a tocar na Alemanha, Argentina, Brasil, Canadá, Costa Rica, França, Itália e EUA. Além das carreiras de execução contrabaixística e do ensino, Alexandre pretende fomentar e difundir novo repertório camerístico e solístico de música clássica para contrabaixo, através de recitais no âmbito nacional Brasileiro.

ANDRÉ LOSS
Piano/Cravo

André Loss tem atuado como solista e camarista na América do Sul e na América do Norte. Realizou sua formação musical e acadêmica no sul do Brasil, tendo estudado com Huberthus Hofmann, Dirce Knijnik, Amadeo Mainero (Argentina/Inglaterra), Norma Bojunga, Lucila Conceição e Maly Weisemblum. Obteve o seu Doutorado em Execução Musical em Piano no College Conservatory of Music em Cincinnati, Oh, nos Estados Unidos, onde estudou com Franck Weinstock, e esteve também na Eastern Illinois University, em Charleston, Il, estudando com George Sanders e Karin Larvick. Teve também aulas de interpretação com Miguel Proença (Brasil), José Alberto Kaplan (Argentina/Brasil), José Henrique Duprat (Brasil), Arnaldo Cohen (Brasil/Inglaterra), Roberto Szidon (Brasil/Alemanha), Mírian Daueslberg (Brasil), Edward Eikner (EUA), James Tocco (EUA), Ian Hobson (Inglaterra/EUA) e Ann Schein (EUA). Ele atualmente ensina na Universidade Federal do Rio Grande do Sul, em Porto Alegre, RS.
André Loss obteve premiações em diversas competições nacionais, tais como o 3° Prêmio no I Concurso Nacional de Piano Villa-Lobos de Vitória, ES, e Mensões Honrosas no I Concurso Nacional de Piano de Juiz de Fora, MG, e no V Concurso Nacional Arnaldo Estrella de Goiânia, Go (este último como prêmio especial pela notável execução da Toccata de S. Prokofieff), além de participar do 10º Concurso Internacional de Piano Robert Casadesus, em Cleveland, Oh, e do I Concurso Internacional da PUC de Porto Alegre, RS. Foi vencedor de diversas competições para jovens solistas da Orquestra Sinfônica de Porto Alegre e da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo, incluindo o Concerto Auditions da Eastern Illinois University.
Suas execuções com orquestra incluem participações nas temporadas da Orquestra Sinfônica de Porto Alegre, da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo, da Eastern Illinois Symphony Orquestra, da Orquestra Sinfônica de Caxias do Sul, da Orquestra de Câmara da UNISINOS, da Orquestra de Câmara do Teatro São Pedro, da Orquestra de Câmara da ULBRA e da Orquestra de Câmara da UFRGS.
Recentemente realizou uma turnê com o violinista Fredi Gerling com o ciclo completo de sonatas para piano e violino de L. van Beethoven, e atualmente forma duos com o contrabaixista Alexandre Ritter e a violoncelista Marjana Rutkowski.
Apresentando-se frequentemente em séries de recitais solo e dando masterclasses no Brasil e nos Estados Unidos, atuou como Professor Visitante na Eastern Illinois University e participou das Séries Artísticas da Francis Marion University, da Georgia State University, da University of Georgia e da Eastern Illinois University, além de tocar em várias instituições brasileiras. Sua mais recente tournê pelo Brasil e Estados Unidos incluiu a sua execução da versão integral dos Estudos Transcendentais de F. Liszt, a qual recebera muitos elogios.
Participou como pianista do 11° Festival de Música da FUNDARTE em Montenegro, RS, e foi o pianista do 10° Simpósio Internacional de Contrabaixistas da University of Georgia em Athens, GA, e do 4° Encontro internacional de Contrabaixistas da UFRGS em Porto Alegre, RS.
Atuou ao lado de artistas de renome como o contrabaixista Franco Petrachi (Itália), o clarinetista Walter Boeykens (Holanda), o violoncelista Antônio Lauro Del Claro (Brasil),o trompetista André Henry (França), o barítono Roy Samuelsen (Noruega/EUA), o saxofonista Daniel Besnier (França), o contrabaixista Milton Masciadri (Brasil/EUA) e o maestro Eleazar de Carvalho (Brasil). Durante seus estudos na Eastern Illinois University, recebeu uma bolsa para acompanhar exclusivamente os masterclasses do famoso barítono americano William Warfield.
Gravou um CD com a soprano Adriana Zignani, o qual recebeu o Prêmio Açorianos de melhor CD de música erudita da cidade de Porto Alegre, e este ano estará lançando um CD duplo em conjunto com os pianistas Cristina Gerling, Ney Fialkow e Catarina Domenici, integrando obras para piano do compositor brasileiro Camargo Guarnieri.
Executou a estreia mundial do Concerto para Piano e Orquestra de Felipe Adami, quem lhe dedicou a obra, e os Estudos n° 1 e n° 2 do mesmo compositor, além da estreia da segunda versão de Estética do Frio II para Piano e Orquestra de Cordas do compositor Celso L. Chaves.
Além das carreiras de execução pianística e de ensino, André Loss mantém um projeto de recuperação e difusão de partituras de concertos para piano de compositores do século dezoito e pré-românticos, o que lhe permitiu a realização da primeira execução brasileira do Concertino para Piano e Orquestra de Johann Nepomuk Hummel.

Notícia retirada do site www.riomusicweek.com

II Semana Internacional de Música de Câmara do Rio de Janeiro, de 26/9 a 03/10/2013.

Programa com contrabaixo:

Daniel Rowland – Violino
Simone Leitão – Piano
Thibault Delor – Contrabaixo
Yannos Margaziotis – Violino
Daniel Guedes – Violino
Daniel Albuquerque – Violino
Marcio Mallard – Cello
Aleyson Scopel – Piano

E. Grieg – Sonata para violino e piano em dó menor (Rowland e Leitão)
1. Allegro molto ed appassionato
2. Allegretto espressivo alla Romanza
3. Allegro animato
F. A. Hoffmeister – Quarteto para trio de cordas e contrabaixo (Delor/Margaziotis/Albuquerque/Malard)
F. Schubert – Quinteto com piano em Lá maior “A Truta” (Guedes/Albuquerque/Malard/Delor/Scopel)

Data: 30/09/2013 – 2ª feira
Horário: 12h30min
Local: Centro Cultural do Banco do Brasil (CCBB)
Endereço: Rua Primeiro de Março, 66 – Centro
Rio de Janeiro – RJ
Para ver a programação completa do evento, clique aqui.

Masterclasses gratuitas no CCBB
Inscrições: http://www.riomusicweek.com/masterclasses

27/09/2013 – 6ª feira
Horário: 15h30min / 17h30min
Paul Cassidy (Quarteto Brodsky) – viola
Londres, Inglaterra

28/09/2013 – sábado
Horário: 16h/ 18h
Juliana Steinbach – piano
Paris, França

30/09/2013 – 2ª feira

Horário: 10h/ 12h
Daniel Rowland (Quarteto Brodsky) – violino
Londres, Inglaterra
Jaqueline Thomas (Quarteto Brodsky) – violoncelo
Londres, Inglaterra

Horário: 15h/ 17h
Thibault Delor – (Universidade de São Paulo – USP) – contrabaixo
França / Brasil
Michael Collins – clarineta
Londres, Inglaterra

Inscrições: http://www.riomusicweek.com/masterclasses

Por e-mail, recebi o convite do nosso talentosíssimo colega contrabaixista Fausto Borém, que participará do IV Simpósio Internacional de Composição da UFRJ:

“Estarei no Rio, me apresentando na Escola de Música da UFRJ.
No dia 13 de agosto, 9:30h na Sala da Congregação, será uma palestra sobre o Método de Contrabaixo de 1838, de Lino Jozé Nunes e o estilo deste incrível compositor, que bem poderia ser o Patrono do Contrabaixo no Brasil.
No dia 14, 19h na Sala Leopoldo Miguez, será um recital com as Lições para contrabaixo solo de Lino Jozé Nunes.
Apareçam por lá e convidem os amigos para saber mais sobre o redescobrimento desta joia do contrabaixo brasileiro (o 2º método no mundo!) e suas Lições, que serão ouvidas novamente após quase dois séculos. Um abraço. Fausto.”

 
Muito sucesso contrabaixístico procê, Fausto!
 
Datas: 13/08/2013, 3ª feira, às 9h30min – palestra
14/08/2013, 4ª feira, às 19h – recital
Local: Escola de Música da UFRJ
End: Rua do Passeio, 98 – Lapa
Rio de Janeiro – RJ

Para ler sobre a programação do IV Simpósio de Composição da UFRJ, clique aqui
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Blog da Voila Marques © 2011 Todos os direitos reservados - Com tecnologia WordPress & Web Design Company
[ Início ]